Senac

Rio Grande do Sul

Escolha seu Curso

Notícia

18/10/2021

Última noite do Experience Senac 2021 discute inclusão na educação e importância dos aspectos emocionais para a aprendizagem

Última noite do Experience Senac 2021 discute inclusão na educação e importância dos aspectos emocionais para a aprendizagem

 Na última sexta-feira, 15 de outubro, das 19h às 20h, o encerramento do Experience Senac 2021 discutiu o tema "A educação é inclusiva. Como a educação vem operando em cenários de desigualdades onde as necessidades básicas de aprendizagem ainda são escassas?". Transmitido ao vivo pelo Youtube do Senac-RS, o terceiro e último dia contou com a mediação da jornalista Isabel Ferrari e a participação dos palestrantes Gustavo Reis, professor por vocação e ofício, bacharel em Ciência da Computação pela UFRGS e mestre em Design Estratégico pela Unisinos; e Cláudia Costin, diretora Sênior para Educação no Banco Mundial e fundadora e diretora do Centro de Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (RJ).

Claudia Costin abriu sua exposição saudando os professores pelo Dia do Professor e falou sobre educação, inclusão e pluralidade, assim como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), apelo da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2030, e algumas metas específicas. Na apresentação, elucidou dados sobre a crise de aprendizagem, exclusão e desigualdade educacional no período anterior a pandemia. "A desigualdade precedeu a pandemia", destacou.

Na sequência, a palestrante trouxe o termo de Revolução 4.0, também chamada de Futuro do Trabalho, e os impactos do desenvolvimento da inteligência artificial nas formas de trabalho no Brasil, fator que, segundo estudos apresentados por Claudia, pode gerar desigualdade social. "A educação terá que se desafiar para mudar muito, porque precisará oferecer competências mais sofisticadas para todos, não só para alguns. Se não fizermos isso, haverá um crescimento ainda maior da desigualdade social, ocasionando cidadania frágil e todo tipo de populismo", ressaltou. Em contraponto a isso, a diretora elencou algumas tendências em educação no mundo com intuito de lidar com esse tipo de problema.

No fechamento de sua apresentação, Claudia deu algumas dicas para os professores em tempos de mudanças e os requisitos de um ambiente educacional. "O professor deixa de ser percebido — e se perceber — como mero fornecedor de aulas expositivas, para ser assegurador de aprendizagem. E esse ambiente educacional só pode ser de uma escola não excludente e que não torne alunos invisíveis", citou entre os requisitos.

Já Gustavo Reis começou sua palestra destacando a importância dos aspectos emocionais para desenvolver inclusão. Através de um link gerador de respostas em tempo real, o palestrante solicitou aos professores participantes da transmissão que descrevessem, em uma só palavra, como se sentiam ultimamente (na maior parte do tempo). "Na verdade, não tem ninguém na plenitude de sua saúde mental, que está tranquilo e sereno, depois de 18 meses de pandemia", explicou. 

Por causa desse problema psíquico, o restante da exposição de Gustavo foi em torno de seu "Manifesto pela Inclusão Emocional", onde destacou os direitos e deveres dos professores, o que podem fazer e o que podem esperar dos alunos. Com isso, apresentou três fatores que se completam no desenvolvimento dessa inclusão emocional: percepção de proximidade, efeitos de sentido desejáveis, e ajuste espontâneo de comportamento. "O resultado disso promove o ganho de cognição. Nós invertemos o que geralmente acontece no ambiente escolar", destacou.

Por fim, citou três "verdades" na apresentação de seu Manifesto pela Inclusão Emocional: você não ensina quem não quer aprender, você não aprende com quem não quer ensinar e você não estimula quem não acredita. Também citou quatro "premissas": "Todo aluno tem o direito de ter aula com professores entusiasmados, todo professor tem o direito de ter motivos para se sentir entusiasmado, todo aluno tem o dever de combater a indiferença e todo professor tem o dever de criar condições para a inclusão emocional. Além disso, usou o link interativo para perguntar qual palavra os professores gostariam que seus alunos usassem para descrevê-los no Dia do Professor. A interatividade gerou participação de quem estava assistindo.

No final, tanto Claudia quanto Gustavo saudaram os professores pelo Dia do Professor e pelos desafios atuais. Realizada de forma on-line, assim como no ano passado, as três noites da edição do Experience Senac 2021 contaram com mais de 600 espectadores simultâneos de diversas partes do país. Para quem ficou de fora, todas as webpalestras dos três dias de evento estão completas no YouTube do Senac-RS.

 

 

Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade para melhorar sua experiência em nossos sites e personalizar a entrega de conteúdo do seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições.